sexta-feira, 21 de maio de 2010

"Estórias" do Automobilismo


Coma Profundo

Essa estória fictícia é sobre um homem super aficionado por Fórmula 1 que no dia 2 de dezembro de 1991 foi vítima de um assalto no qual acabou sendo baleado na cabeça. A bala ficou alojada na cabeça e este homem, de nome Paulo vulgo Paulinho, acabou ficando em coma por longos 19 anos. 
“Paulinho” era solteiro e na época do ocorrido tinha 27 anos. Tão aficionado por Formula 1 que não falava de outra coisa a não ser de Ayrton Senna, Nelson Piquet, McLaren, Williams, o “nojento” que ele sempre se referia era Alain Prost, que ele não gostava desde a rivalidade do francês com Piquet de 1983. “Paulinho” também gostava de futebol, mas não era seu esporte favorito, alias, na época, seu time do coração Palmeiras já sofria de longo jejum e a seleção brasileira já não ganhava uma Copa do Mundo fazia uns 21 anos.





Bem, “Paulinho” finalmente acordou do seu coma no dia 20 de maio de 2010! Para a alegria de sua família e parentes. Assim que “Paulinho” acordou, começou a bateria de perguntas com o seu pai, outro aficionado por Fórmula 1, o “seo” Toninho.
 "seo” Toninho sempre foi fã de Jackie Stewart e ao se deparar com o “renascimento” do filho, os dois começaram a conversar, eis o dialogo:

 - Oh meu filho, quanta felicidade ter você de volta! – diz “seo” Toninho
- poxa pai, eu estou me sentindo como se nada tivesse acontecido comigo, alias nem sei o que aconteceu, só sei que ontem eu fui à banca comprar o jornal, e na pagina de esportes dizia que o Piquet iria renovar com a Benetton... Fiquei felizão... – diz alegremente “Paulinho”
- Olha filho, você sabe que estamos em 2010 né? – pergunta “seo” Toninho
- sério? Estamos em 2010? Mas pai... Eu não estou no hospital porque eu bati a cabeça no chão quando o assaltante me empurrou? – indaga “Paulinho”
- não meu filho, ele atirou em você e tu estavas em coma – diz “seo” Toninho
- coma? oxi... sei lá o que é isso... – diz surpreso “Paulinho”
- esquece filho – diz “seo” Toninho


e a conversa prossegue até que “Paulinho” começa a bombardear o pai de perguntas após o médico explicar o seu coma...

- pai, me diz, me diz, como foi a Fórmula 1 nesses anos todos que eu fiquei em coma? Poxa, o Brasil deve ter já uns 20 títulos né...rs

- filho, olha.. não sei nem como explicar – responde o pai timidamente

- ah pai, eu sei, deve ser tantos pilotos campeões, o Senna deve ter ganhado tantos títulos, ou, pelo menos ter batido o recorde do Fangio né...

- filho, olha... – até que “Paulinho” o interrompe...

- pai, eu me lembro que, antes de acontecer o ocorrido, eu tinha lido no jornal que o Piquet iria renovar com a Benetton, iria correr junto daquele moleque alemão, o quebrador de motores... hahahah – diz debochadamente “Paulinho” ainda se recordando dos comentários da TV sobre o novato alemão na época....

 
- filho, o Piquet se aposentou da F1 em 1991 mesmo...

- já era de se esperar né pai, não tinha mais nada para provar na Benetton... 

 
continuando o dialogo, “Paulinho” começa a perguntar sobre o Ayrton Senna, Títulos do Brasil e outra coisas mais...

- mas pai, o Senna, que eu me lembre, já era tricampeão mundial quando eu sofri isso tudo, poxa pai, ele deve ter ganhado uns 10 títulos né? – pergunta curioso “Paulinho”

- olha filho, infelizmente o Senna ficou só com 3 títulos... – responde timidamente “seo” Toninho

- nossa pai!!! Nós não estamos em 2010? Como o Senna teve só 3 títulos, ele estava super motivado para 1992, a Honda tinha um motorzão, como não ganhou?

- filho, o Mansell ganhou em 1992... – responde “seo” Toninho

- caramba pai! O Nigel Mansell foi campeão? Poxa, as Williams melhoraram mesmo hein!? Mas foi pau-a-pau né? – pergunta “Paulinho”

- filho, o Mansell bateu o recorde de vitórias no ano, ganhou com quase o dobro de pontos do Senna e o Patrese foi vice-campeão e o quebrador de motores foi o 3º.

- O Q ? é.. bom... é.. mas pai... a McLaren era a melhor equipe, o Senna era o melhor piloto, o quebrador de motores... – Paulinho fica sem palavras para continuar...

- ta pai, pode ter sido o carro ruim né, mas em 1993 o Senna foi tetra né? – pergunta “Paulinho”


 
 
- não meu filho, o Prost foi tetra e a Honda saiu da Formula 1.

- O “nojento” foi Tetra? Ah pai, você esta mentindo!!! Ele foi mandado embora da Ferrari ontem e disse que ia se aposentar oras, você esta brincando comigo – diz zangado “Paulinho”

- não meu filho, o Prost voltou para a F1 e foi para a Williams que tinha o melhor carro, a Honda saiu da McLaren e o Senna correu na McLaren com motores Ford iguais aos da Benetton...

- afff, meu pai!!! Que horror!!! Mas responde logo pai, o Senna ganhou em 94 né porque é muito azar ... 92 é o Mansell, ai em 93 ganha o nojento de novo.. 

 
- filho, era para o Senna ser tetra mesmo em 94 – responde “seo” Toninho

- era? Porque era? – pergunta “Paulinho”

- era porque o Ayrton Senna acabou morrendo...

- O o A A Ayrton Se Se Senna mo mo morreu co co como isso pai ? – pergunta assustado “Paulinho”

- filho, o Senna saiu da McLaren em 93 e foi para a Williams em 94 porque eles tinham o melhor carro, mas o Schumacher ganhou as duas primeiras... – nesse momento “seo” Toninho é interrompido pelo filho

 
- você disse quem? Michael o que ? Schumacher foi o que você disse? Aquele mesmo, o quebrador de motores? O cara ganhou duas vezes? Fala serio pai, você ta zombando com a minha cara... – diz zangado “Paulinho”

- é meu filho, o “quebrador de motores” já tinha ganhado corridas e em 1994 ele estava muito bem e no começo do ano, ganhou as duas primeiras corridas e o Senna estava aflito. Precisava vencer e aconteceram várias coisas em Imola que depois eu te explico. O Senna não iria correr, mas ele foi pressionado pelo fato do alemão ter ganhado as duas corridas e acabou sofrendo um acidente e morrendo na pista... – explica “seo” Toninho

- pô pai, que triste, ele era meu ídolo.. mas pai, diz ae, depois disso apareceu outro brasileiro e mandou o quebrador de motores pastar né – pergunta “Paulinho”


- bom filho... é... não sei como explicar

- hahahahaha, eu sei pai, claro que sim, morreu o Senna mas apareceu outro, e mais, o quebrador de motores é ruim demais... – diz “Paulinho” sem saber da realidade dos fatos

- filho, é... o quebrador de motores que você diz foi campeão

- campeão? Rá ? ta, mas qual foi o brasileiro que mandou o tal alemão pastar?, eu me lembro pai que tinha um moleque na F3 que o Ayrton Senna vivia elogiando, um tal de Pastiquelo, Basilello, sei la o nome dele, que seria seu substituto na Formula 1...

- sim filho, ele realmente chegou na Formula 1 e ganhou algumas corridas... – responde “seo” Toninho

- viu pai, estou te falando... eu sabia, o Brasil comanda esse negocio de corridas...rs – responde sem saber dos fatos

  
- filho, o tal quebrador de motores ganhou 7 títulos mundiais, quebrou todos os recordes da F1, quebrou o recorde de poles que era do Ayrton Senna, quebrou o recorde do Fangio, foi campeão pela Benetton e pela Ferrari, quebrou o jejum da Ferrari alias, derrotou vários brasileiros, humilhou até... e.... o Brasil nunca mais ganhou nenhum titulo mundial de Formula 1, o ultimo titulo foi aquele que você se lembra como se fosse ontem, o tri do Senna foi o ultimo, nunca mais filho, nunca mais...

- mas e o Pastiquelo ? poxa pai, não apareceu ninguém ? – pergunta aflito “Paulinho”

- sim filho, apareceram vários, vários pilotos...

- então pai, e o sobrinho do Fittipaldi? poxa, não é possível isso!!! O quebrador de motores fez tudo isso, você esta brincando comigo... – diz “Paulinho”

- o Pastiquelo que se chama Barrichello, foi companheiro do quebrador de motores que eu prefiro chamar quebrador de recordes na Ferrari, mas acabou sendo humilhado por ele por uns 5 anos... – responde “seo” Toninho

- poxa pai, eu não consigo imaginar um brasileiro apanhando de um outro piloto! Não consigo... pai, tudo isso que você esta me falando não tem nexo!

- sim meu filho, é isso mesmo. Inclusive filho, hoje o Brasil tá quase uns 20 anos sem titulos na Fórmula 1 – diz frustrado “seo” Toninho

- perae pai, isso que você esta dizendo é o jejum do meu “Parmera” pô... para com isso – responde “Paulinho” ainda com a cabeça em 1991

 
- é filho... Formula 1 para o Brasil, nunca mais, nunca mais... assim, para não dizer nunca, em 2008, um brasileiro foi campeão mundial... – “seo” Toninho é interrompido pelo filho mais uma vez...

- viu pai, to te falando, teve outro campeão... como você vem me dizer de jejum... – diz “Paulinho”

- perae filho, esse outro brasileiro foi campeão, mas por 20 segundos... 
 
- 20 segundos? Pai, você quer me deixar em coma de novo? Como campeão por 20 segundos, que historia é essa? Para com isso pai... – responde ironicamente “Paulinho”

- sim filho, esse piloto que se chama Felipe, precisava vencer e o adversário dele tinha que chegar de sexto em diante para ser campeão... e o cara tava em sexto na ultima volta, aaaah, sem contar que a corrida foi em Interlagos... ai, na ultima volta, o Felipe tinha recebido a bandeira quadriculada, comemorou mas o cara que tava em sexto, passou o quinto na ultima curva...  – diz frustrado “seo” Toninho

- hahahahaha, eu não estou acreditando... – diz “Paulinho”

- sim filho, teu pai aqui chorou muito... estava aqui no hospital, você de coma e eu na salinha vendo a corrida pela TV, me lembrando dos nossos momentos vendo as corridas do Piquet e do Senna juntos, me lembrando dos momentos felizes das vitórias, revivendo tudo aquilo, mas isso só durou 20 segundos... – fala com a voz embargada “seo” Toninho

- pai, mas assim, você me disse que o Senna morreu né, mas ele não teve filhos? – pergunta “Paulinho”


 
- não filho, ele morreu e não deixou filhos, teve o sobrinho dele, o Bruno se lembra? Então, ele esta correndo na Formula 1 mas... – responde timidamente “seo” Toninho

- viu pai, viu pai !!! aeeeeeeee , ainda vou continuar vendo um Senna na Formula 1, ebaaa ! que legal pai, com certeza o sobrinho dele deve estar arrasando... deve ter calado a boca do quebrador de motores, já deve ter feito umas 20 poles... – Paulinho é interrompido pelo pai

- não filho, o sobrinho dele não fez poles, não venceu...

- ta pai, você quer me dizer que ele nem estreou ainda? – pergunta “Paulinho”

- não filho, ele já estreou, e já está na Formula 1, só que a equipe dele é tão ruim, que ele só anda em ultimo, anda quase 5 segundos mais lento que o líder da prova e tem sido, mesmo que poucas vezes, sendo superado pelo companheiro de equipe, que nasceu na Índia... – diz com a voz embargada “seo” Toninho


 - perae pai, deixa eu entender bem. Ontem, porque para mim foi ontem, o Ayrton Senna foi tricampeão mundial, o quebrador de motores era piada no meu trabalho, o Piquet ia renovar com a Benetton, o nojento já estava aposentado, em questão de 20 segundos, eu estou aqui, o quebrador de motores virou quebrador dos recordes da Formula 1, o Piquet tinha se aposentado ao invés de renovado, o nojento chegou a ser tetracampeão, o Ayrton morreu e venho para cá ver um SENNA andar em ultimo tomando tempo de um... indiano? É isso? – indaga super perplexo “Paulinho”

- sim meu filho, é mais ou menos isso, mas o mais importante é que você voltou a vida, você é meu filho... – até ser interrompido pelo filho

- não pai, eu não voltei, eu vou pedir para alguém me dar outro tiro para eu voltar ao coma e não acordar desse pesadelo, quem sabe em 20 segundos eu volto de onde eu vim, para... e outra, não vou ficar aqui para ver um Senna andar em ultimo... ver brasileiro andando em ultimo, apanhando de companheiro, só me falta dizer que apareceu algum sei lá, vou chutar um país nada a ver com a F1, aaah, só me falta essa, só falta um espanhol, terra do zé ninguém Luiz Perez Sala, estar humilhando um brasileiro na F1, só falta essa né pai... – indaga perplexo “Paulinho” 

 - Bom filho, é ... como dizer... pior que tem sim.. tem um espanhol de nome Fernando, que tem humilhado o tal Felipe que te disse. Alias, esse espanhol já foi campeão da F1 duas vezes... – responde “seo” Toninho

- Olha pai, faz o seguinte, mete outro balaço na minha testa, por favor! Quem sabe, eu acorde e você venha me dizer que aquele barbudo do PT é o presidente do Brasil – diz desesperado “Paulinho” ainda com a imagem do "socialista" Lula de 1989...

  

- Olha filho, não precisa, ele já é

- Chega pai! Cansei das piadas! Estou voltando pro meu coma! – neste momento “Paulinho” pega um bisturi que estava perto deles, e mete no meio da sua garganta.

Fim


tempo atual do "coma" brasileiro na Fórmula 1:
19 anos, 7 meses e 1 dia...






5 comentários:

Fernando Cataldo disse...

Hermano, não tenho outra palavra a não ser "sensacional" para descrever este texto! Dei muita risada imaginando este bate papo como real e lembrei de várias conversas nossas sobre a possibilidade de isso acontecer um dia!
Parabéns pelo (na minha opinião) o melhor texto já publicado em nosso blog!

Abraços!

CHAFICK disse...

hermanito
vc é um genio
muito bom mesmoooo
parabens

Bruno Braz disse...

Muito bom! muito bom mesmo!

Ricardo disse...

hahahahaha - é o melhor comentário a se fazer!

Toni disse...

Boa. Caso tivesse acontecido o caso mesmo, a conversa seria bem essa. ahahahah...Lembrou aquele personagem antigo do Jô Soares que era um General em coma que acordou no governo Sarney, e a cada absurdo que ele ouvia falava "Tira o tubo..."ahahaah...