quarta-feira, 18 de maio de 2011

Por que Piquet e Senna viraram inimigos

Uma bandeira, dois pilotos

Senna e Piquet, intrigas e respeito mútuo entre os campeões.

Jamais entendi por que o país se dividiu na idolatria entre Ayrton Senna e Nelson Piquet. Seria anormal a identificação com a espontaneidade - às vezes até azeda - de Piquet, ou a admiração pelo recato - até inexorável - de Senna com os fãs. Mas surgirem legiões anti-Senna ou anti-Piquet, sendo ambos tricampeões e brasileiros, é, no mínimo, algébrico.

Eu, que estive em minoria como fã dessa dupla fantástica, acho que, mesmo inconsciente, foram eles que animaram essa divisão com os dardos de suas pirraças particulares. E, ironicamente, quanto tivemos a maior força na Fórmula 1 nas pistas do mundo.


Os jovens pilotos da época, nota-se a irreverência de Piquet com Senna.

O primeiro desentendimento entre Senna e Piquet surgiu em 1983, quando Bernie Ecclestone, dono da Brabham e patrão de Piquet, quis conhecer melhor Ayrton Senna. Ele era a grande revelação da época e Ecclestone, como os demais donos de equipe, ficou de olho nele. Chamou Piquet e propôs: "Eu gostaria de avaliar melhor esse brasileiro e fazer um comparativo entre vocês. O que você quer para topar um teste justo, em absoluta igualdade de condições?".

Piquet garante que exigiu apenas a igualdade. Daria meia dúzia de voltas com pneus velhos e acertaria o carro. Então colocaria pneus novos e faria a tomada de tempo. Senna deveria ter as mesmas condições. "E se ele fizer o mesmo tempo ou menos?", provocou Ecclestone.
"Bom, se isso acontecer, eu te pago 100 mil dólares. Mas se for o contrário, você é que me paga os 100 mil", propôs Piquet.

Ecclestone riu, concordou com a cara de quem tem um ás na manga, e os dois pilotos brasileiros foram para o circuito Paul Ricard, na França, fazer o teste.


Senna durante os testes com a Brabham, o ínicio dos desentendimentos.

Piquet seguiu o roteiro combinado, mas teve uma surpresa ao entrar no carro: a mando de Ecclestone, a válvula de regulagem de potência do turbocompressor estava lacrada num ponto imutável. Era uma artimanha do patrão para que o teste fosse realmente justo. Afinal Piquet, além de malandro, conhecia bem o carro e o motor com o qual tinha sido campeão.

Na versão de Piquet tudo seguiu como o estabelecido: ele deu cinco voltas com pneus usados, trocou-os por novos, fez o tempo de 1min7s (no pequeno circuito de Paul Ricard) e entregou o Brabham. Ayrton Senna fez a mesma coisa com os pneus velhos, mas usou mais jogos de pneus novos e não conseguiu atingir a marca de Piquet.

Mesmo assim o teste foi considerado muito bom e o próprio Piquet admite que elogiou Senna para o patrão, que resolveu contrata-lo.

Mas, segundo Piquet, a Parmalat, multinacional italiana, patrocinadora da Brabham na época, não aceitou.
"Eles queriam um italiano (no caso Riccardo Patrese), e não outro brasileiro. Daí o Senna saiu dizendo que eu havia boicotado ele. Eu só ganhei 100 mil dólares", ironizava Piquet.

 Piquet não perdia a chance de ironizar os feitos de Senna.

As relações azedaram mais quando Piquet saiu da Williams para a Lotus, em 1988, e disse que a primeira providência que tomaria antes de entrar que fora de Ayrton Senna seria desinfetá-lo bem.
Em janeiro, porém, Piquet resolveu ser diplomático e jogar água fria na briga, elogiando Senna: "Ele é um bom piloto, ainda não é campeão, mas seguramente será. Tem tanto talento quanto eu, e não é lógico essa história de ficar brigando, como se a torcida fosse obrigada a escolher entre um e outro. Acho que ele só está errado em já se achar o melhor. Isso é péssimo. É importante acreditar que alguém é melhor que você para continuar progredindo".

Em 1988, quando a guerra travada entre os dois parecia terminada, Senna, mesmo brincando, acendeu o estopim de uma explosão que nunca mais se apagou. Depois de assinar com a McLaren, Senna isolou-se do mundo e só reapareceu no dia 6 de março no circuito do Rio de Janeiro, onde várias equipes, inclusive a Lotus, testavam pneus e fez uma declaração publicada na íntegra no Jornal do Brasil: "Eu tinha que dar aos outros uma chance de aparecer um pouco. Afinal, não tem sentido um cara ser tricampeão e eu continuar sendo assunto. Já que ninguém gosta muito dele, o único jeito era eu sumir para que ele pudesse aparecer um pouco."

 No ínicio de 1988, Senna fez uma declaração infeliz o que provocou resposta forte de Piquet.

A réplica, bem ao estilo Piquet, veio rápida e atingiu Senna em cheio: "Senna desapareceu esses meses não foi para deixar eu aparecer. Foi para não ter que explicar à imprensa brasileira por que não gosta de mulher".

Estava deflagrada a nova guerra. Senna - como já esperava Piquet - levou a declaração muito a sério. Nem os conselhos do diplomático diretor da McLaren, Creighton Brown, para que o comentário fosse aceito como brincadeira, acalmou o piloto. Senna esbravejou, chamou Piquet de débil mental, sugeriu que "um cara como esse deveria ser internado pelo resto da vida num hospício para evitar falar tantas bobagens.".

Piquet, certo de que tinha provocado um estrago, não mudou o tom. "Eu apenas disse que ele não gosta de mulher, e ele não gosta mesmo. Mantenho o que disse", reafirmou em 9 de março de 1988. No mesmo dia, os jornais publicaram na íntegra um telegrama de Ayrton Senna, que examinava a possibilidade - depois confirmada, por meio dos seus advogados, de processar o detrator.

 A Guerra entre Senna e Piquet deflagrada em 1988 chegou as vias judiciais.

Quando a oficial de justiça entregou a intimação a Nelson Piquet, no autódromo, em 13 de março para comparecer num prazo de 48h à 22a Vara Criminal, do RJ, onde deveria confirmar ou negar as suas declarações, o bate-boca já era assunto mundial. Era pública a intenção dos advogados de Senna em enquadrá-lo no crime de difamaçao e injúria (previa uma pena de 1 ano e meio de detenção) no caso de confirmar a declaração de que "Senna não gostava de mulher".

O L'equipe, principal jornal francês de esportes, deu sob a manchete "Escândalo Rio", que Piquet e Senna ultrapassaram o nivel de disputa, alcançando o ódio. Para o jornal tratava-se de uma inevitável e dramática escalada estimulada por certos jornais brasileiros. Criticavam Piquet por ter levantado dúvidas sobre a vida sexual de Senna, como se faz num recreio em colégio primário.
O Le Sport - também francês - afirmava que Piquet pretendeu deixar claro que Senna era homossexual e pergunta: "Como um tricampeão do mundo (Piquet) pôde ter derrapado tão gravemente?". O jornal ainda criticou duramente Piquet por suas "costumeiras brincadeiras, cada vez mais de mau gosto".

Os outros brasileiros, presentes ao circuito carioca, eram requisitados mais para opinarem sobre a briga do que pela performance na pista. Thierry Boutsen, piloto belga da Benetton: "É um absurdo. Eu conheço bem o Ayrton há tempo e sei que isso não é verdade. Talvez esse boato tenha surgido porque ele é tímido."
Riccardo Patrese, italiano da Williams: "É lamentável que a coisa tenha chegado a esse ponto". Alain Prost, francês da McLaren: "sem comentários".

Alessandro Nannini, italiano da Benetton: "Ainda que Piquet não tenha razão, Senna não deve se preocupar. Metade da população mundial é gay". A discussão entre Senna e Piquet deixava a McLaren e Lotus à margem dos treinos, propiciando um condimentado prato à imprensa italiana.
A revista italiana Panorama, com uma tiragem semanal de 800 mil exemplares, dedicou várias páginas à irreverência do tricampeão Piquet que "pôs em dúvida a fama de don juan que ostentam os pilotos de Formula 1".

Sob o título "Fórmula homo, sexo e motores", a reportagem estampava várias fotos de Senna e Piquet em belas companhias femininas, mas alertava que o assunto é daqueles que não podiam passar desapercebidos e a revista resolveu investigar a "afirmação" de Piquet. Os três autores da reportagem interrogaram diversas pessoas. Entre elas uma bela modelo morena italiana, que, embora insistisse em ficar incógnita, jura que Piquet mentiu. Disse na época: "Vivemos juntos (Senna e eu) durante seis mses, e não tenho dúvidas sobre a masculinidade de Ayrton".

Ayrton Senna e Carol Alt, um affair rápido.

Para os íntimos de Ayrton, Xuxa foi a sua maior paixão.

Senna e Adriane Galisteu, sua última namorada.

Os repórteres da revista mergulharam fundo nos bastidores da F1 e publicaram que outras personalidades do circo foram mais longe, informando à revista que "Katherine Valentim, modelo belga e ex-funcionária da grife Boss, patrocinadora da McLaren, foi íntima frequentadora de Senna, antes de ser companheira de Piquet". E nas entrelinhas a suspeita: "Quem sabe o ciúme também entrou na pista?".

A verdade é que Ayrton Senna nem Nelson Piquet imaginaram que suas ofensas ecoassem tão longe. Se Senna jamais se livrou completamente da aleivosia, Piquet ficou com a pecha de fofoqueiro, principalmente na imprensa francesa que jamais o perdoou depois do episódio.
Sentindo que a quarela tomava rumos incontroláveis, os advogados de Piquet, tentaram minimizar o fato, com argumentos até cômicos. Primeiro Piquet não teria falado em tom de entrevista. Disseram que houve um erro de interpretação, conotando o "não gosta de mulher" como um mero pregão mal interpretado. "No meio da F1, sempre acontecem atropelos e as perguntas são lançadas sobre os profissionais ainda aturdidos e desgastados pelos problemas de pista e que, por isso mesmo, têm necessariamente o colorido da pressa."
E continuavam: "Quando fizemos que o sr. Fulano não bebe, não estamos garantindo que esse sr. Fulano, nas reuniões sociais que frequenta, ou talvez em sua casa, recuse o copo de vinho ou se furte a preparar a sua dose de uísque. Estamos apenas assegurando que o dito sr. Fulano não é um alcoólatra", argumentaram os advogados.
No dia 18 de março de 1988, Ayrton Senna, tentando dar fim ao rumoroso caso, distribuiu uma nota oficial aos jornais declarando-se satisfeito com as declarações prestadas por Nelson Piquet ao juiz de justiça na 22a Vara Criminal do Rio de Janeiro.
Judicialmente o caso foi encerrado, mas Senna e Piquet jamais voltariam a conversar. O mais que se aproximaram foi nas festivas dobradinhas brasileiras em três pódios. Curioso é que jamais tiveram qualquer problema em oito anos de pista nos mais de 32 mil quilometros dos 146 GP's que se enfrentaram. Ambos foram arrojados, determinados e sequiosos por vitórias, mas éticos esportistas e estupendos tricampeões. Talvez a culpa seja dos seus anjos da guarda, um tanto descuidados fora da pista.


Ayrton Senna e Nelson Piquet: 6 títulos mundiais, 64 vitórias e 89 pole-positions.

Texto extraído do livro
"Os Arquivos da Fórmula 1"
ed. Panda Books
LEMYR MARTINS

31 comentários:

(RICSIMON) disse...

NÃO VOU ENTRAR MUITO NO MÉRITO SE ERA OU NÃO, MAS O QUE ACHO QUE ACENTUOU MUITO A BRIGA ENTRE AMBOS FOI A GLOBO, LEIA-SE GAVIÃO BUENO.

ELE SEMPRE FOI FÁ DECLARADO DO SENNA E O REGINALDO LEME ERA AMIGO PESSOAL DE PIQUET DE LONGOS TEMPOS.

A COISA FOI TÃO FEIA ENTRE OS DOIS JORNALISTAS QUE TEVE BRIGA ENTRE AS SUAS RESPECTIVAS MULHERES EM RESTAURANTE EUROPEU E A GLOBO CHEGOU A AFASTAR, POR INCRÍVEL QUE PAREÇA, O GAVIÃO BUENO. ELE FOI PARAR NA GAZETA.


MAS O QUE GOSTEI MESMO FOI A DECLARAÇÃO DE NANINI, EH EH EH...

renato disse...

sempre digo isso. se o Piquet tivesse morrido na pista tentando o tetra ele seria ídolo.

Raul disse...

Eles viraram inimigos porque o Piquet vetou o Senna na Brabham em 1984, Piquet disse pra imprensa que a Parmalat vetou Senna, mas segundo os dirigentes da Parmalat Piquet telefonou insistindo muito pra não contratar Senna, e a melhor desculpa foi que eles exigiam um piloto italiano, durante muito tempo esta justificativa foi aceita, mas agora vários ex-técnico da Brabham estão confessando que houve o veto do Piquet, o mais importante foi Bernie Ecclestone dono da equipe e que tinha já assinado um pré-contrato com Senna e tinha até combinado um vôo com o Bernie pra assinar o contrato definitivo, Bernie disse a Parmalat tinha aceito Senna na Brabham,o salário seria baixo, mas a Parmalar mudou derepente de idéia a partir de um telefonema de Piquet. Disse que Piquet apesar de falar mal de Senna chamando-o de motorista de táxi, ficava muito contrariado quando ele comunicou que ia contratar o Senna.

McCoy disse...

Se for mesmo verdade, e daí ? Ele (Senna) poderia ir para qualquer equipe como o fez e simplesmente se tornar o que se tornou. Isso sempre foi comum na F1. Se o Massa tivesse moral na Ferrari, também teria barrado o Alonso, ou não? Mansel também tentou barrar o Piquet na Williams e mais uma infinidade de pilotos fez a mesma coisa. Alguém acha que Prost queria o Senna como companheiro de equipe ?
Concordo mais com RICSIMON, Galvão Bueno e a Globo tornaram a convivência dos dois insuportável.

LichKing disse...

Senna foi um ótimo piloto sim, basta assistir um documentário (não é esse filme de 2010) com a narração do Reginaldo Leme (ainda bem que não era o galvão) que pegava os melhores momentos da F1 de 1989 até 1991, se não me engano. É um documentario muito neutro e cheio de informações relevantes, sem pagação de pau nem devaneios de fãs dramáticos.

Entretanto, eu acho o Piquet melhor, por uma série de razões, sem contar a atitude dele. Mas, apesar de admitir a antipatia do Senna por causa da Globo ou da mídia BR em geral, e desses fãs que pareciam mais viúdas do próprio, que ficam taxando o cara de santo ou mágico (mesmo porque mágico é quem esconde cobra). Mas porra, o cara era bom pra caralho também!

por fim, estas brigas entre os fãs de senna x piquet é tão chata que você não pode nem conversar sobre corrida direito. Tipo, porquê uma pessoa não pode admitir que o outro foi um grande piloto também, cada qual com suas características, independente de gostar mais do Senna ou Piquet? Ainda mais, pra que brigar, ofender (a não ser que for engraçado)?

Falando de Nelson Piquet e Ayrton Senna, temos são dois pilotos brasileiros excelentes que fizeram história no automobilismo mundial...

Sem contar que, focando nessa rixa boba, esquecemos do grande Emerson Fittipaldi, que além de ter aberto o caminho para os pilotos brasileiros na F1 e no automobilismo mundial de forma geral, com certeza teria sido pelo menos tetracampeão com a MacLaren, na época, se não tivesse saído para ajudar o seu irmão na Coopersucar, a equipe brasileira, o que mostra que o cara além de ser bom ainda era idealista. Depois ele foi pra INDY e ganhou o campeonato em 1989.

ah, parabéns ao pela matéria!

Everton disse...

O Nelson é um piloto que por ser frio costuma fazer guerras psicológicas contra pilotos ou dirigentes que o ameaçam, basta ver os que ele criticava -via imprensa- desde Chico Serra, Barrichelo, Senna, Mansell, Enzo Ferrari, Briatore, Ducarouge etc...Já o Senna é o contrário é bem polido, mas também brigava com os pilotos por que era um piloto muito duro, às vezes desleal, nas disputas...também tinha inimigos...Acredito que o Piquet atacava o Senna porque tinha medo de ser esquecido pelo povo brasileiro, o Senna era superior tecnicamente ao Piquet...e quem diz isto são técnicos que trabalharam com os dois como Ducarouge, Peter War, Gordon Muray, Nakajima e principalmente Osamu Goto chefe da engenharia dos motores Honda, eu confesso que não conheço um técnico de F1 que seje do ramo que diga que o Piquet é melhor que o Senna, Senna era aproximadamente 1,0 segundo mais rápido que o Piquet...mas Senna não foi o melhor piloto daquela época, o Prot era muito rápido também e em condições de corrida era tão bom ou melhor que o Senna, por que errava menos...Daquela época os melhores eram Prost/Senna depois vinham empatados Piquet/Mansell/Berger, a melhor prova pra saber se um piloto é bom comparar com o companheiro...e os resultados de Prost e Senna são ótimos...o Piquet era mais lento que o Mansell na Williams, e o Mansell perdia feio pro Prost na Ferrari, Mansell empatava com o Berger na Ferrari, e apanhava do De Angelis na Lotus, Já Senna ganhava fácil do Berger e do De Angelis com o mesmo carro.. Piquet vencia Nakajima na Lotus, mas Senna vencia com uma diferença de tempo muito maior...Pena que o Senna tenha morrido tão cedo ele provavelmente ganharia mais 2 campeonatos...

Rogério disse...

Sempre achei no passado, o Piquet superior ao Senna, por causa do fato de ser um melhor acertador de carros, mas quando estudei na Inglaterra, conheci vários engenheiros, mecânicos e todos eram unânimes em declarar que Senna era bem superior ao Piquet, porque era muito detalhista, e muito veloz, quando há 8 anos falei num PUB que o Piquet era melhor que o Senna, um pessoa que se chamava Gordon Muray explicou pra mim e outras pessoas por que Senna era bem melhor que o Piquet, ele foi engenheiro-chefe das Brabhm durante muitos anos e também das Mclaren e por isto conhecia o Piquet e Senna, o Gordon contou coisas incríveis sobre o Senna, uma delas que numa pista nova em 2 voltas ele já ficava no mesmo segundo do recorde da pista, coisa que os outros pilotos demoravam dias pra chegar lá. E ele disse que o Piquet morria de medo de um confronto contra o Senna ou contra o Prost, por isto o Piquet fugia do confronto contra este pilotos como o diabo foge da cruz.

Vanderlei disse...

Quem é fã do Senna na Globo é o Galvão, mas eu nunca vi o Galvão nas narrações falar mal do Piquet, para o Galvão basta ser brasileiro que ele sempre protegerá, uma vez o Galvão na Playboy falou mal do Piquet como pessoa, mas é difícil ele falar mal do Piquet, mas tenho amigos em comum que diz que ele não gosta da pessoa Piquet, já o Reginaldo Leme é o contrário ele é amigo do Piquet, e não gostava muito do Senna, aliás não do piloto Senna, mas da pessoa Senna, ele achava que ele era uma pessoa difícil, o Leme considera o Émerson o melhor piloto brasileiro, o maior problema do Leme é que ele é um comentarista fraco, ele troca nomes de pilotos, fala em cores de capacete, parece gaga, faz análise equivocadas das ultrapassagens e não sabe analisar nada... é por isto que a globo contratou o Luciano Burti este sim um ótimo comentarista os índices de acertos dele é bem alto, é inteligente e conhece a F1, eu tenho pena do Reginaldo Leme, a Globo deveria contratar o Edgar de Mello Filho para o lugar dele.

Ricardo disse...

Vanderlei concordo com quase tudo com o que você falou, mas o Reginaldo Leme, quando comentou que o Piquet era melhor que o Senna isto foi lá por 1986 até 1988... quando era comum se fazer está pergunta, o Galvão nesta época já achava o Senna superior, mas como o Senna superior Piquet se o Senna só tinha 4 ou 5 anos de F1, por isto acho os comentários do Leme corretos, ele só tinha 1 título, mas depois ele mudou de idéia lá por volta de 1990 ele já considerava Senna superior ao Piquet, mesmo sendo muito amigo do Piquet, a mundança do Reginaldo se deve ao fato do confronto Senna X Prost ter sido muito equilibrado, Prost é pra mim o melhor piloto de F1 pela regularidade e ter vencido vários campeões como Lauda, Rosberg, Mansell, Hill com grande facilidade, por isto que se pegar entrevistas mais recentes o Leme considera o Senna o melhor piloto de todos os tempo basta acesar o youtube 2012 coloque Ayrton foi o melhor piloto da história...as pessoas de bom caráter mudam como o Leme mudou em relação ao Senna isto prova que ele além de humilde é um grande jornalista

Daniel Freire disse...

Piquet tinha inveja de Senna porque sabia que Ayrton era melhor do que ele.

Patrício disse...

No mundo todo se compara Senna com Prost e Schumacher, mesmo Senna tendo só 162 GPS e ter corrido 4 temporadas em equipes médias. Mas aqui no Brasil alguns insistem em colocar Piquet no mesmo nível que Senna, às vezes, até acima, olha o fiasco que o Piquet fez na Lotus-Honda turbo que ele dizia que ia ensinar ao Senna como se acerta um carro.

Roberto disse...

A Família Piquet vive nas páginas policiais, desmatamento do amazonas feita pelo irmão e sócio do Nélson, mais lavagem de dinheiro descoberta em dezembro de 2010, o Piquet mandava dinheiro para federação Cearense de automobilismo pra puxarem o seu saco, não dúvido que ele faça a mesma coisa com alguns Blogs brasileiros, como o Piquet nunca está entre os 10 melhores pilotos de todos os tempos, na análise da imprensa especializada, dos pilotos de F1 e dos engenheiros, o Piquet dá uma "ajudazinha' para estes Blogs fazem campanha anti-Senna, não tenho dúvida o Nélson aprendeu tudo isto com o seu amigo Collor de Mello. Mas este Blogs aqui é sério, mas tem uns 4 que são altamente suspeitos. Tem um que inventa entrevistas como a do Goto, dizendo que o Piquet era melhor que o Prost e o Senna. Ainda bem que o Goto negou a entrevista.

Carlos Alberto disse...

Eu gosto mais do Piquet porque ele é mais carismático, um piloto diferente, meio louco, mas eu sou obrigado a reconhecer que o Senna era mais habilidoso, principalmente na chuva, vários projetistas que trabalharam com o Senna e o Piquet disseram que o Senna era superior ao Piquet e isto que o Piquet espalhou que o Senna não sabia acertar carros. Não é verdade, segundo o Gordon Muray, o Senna era um bom acertador de carros, o Ducarouge chegou a dizer, para um jornal francês que se a Lotus em 1988 tivesse o Senna iria disputar o título com a Mclaren e aí o Ducarouge mostrou as diferença de tempos entre o Senna-Nakajima, contra Piquet-Nakajima, as diferenças de tempos a favor de Senna (contra Piquet) com o mesmo carro eram de quase 2 segundos. Usando o Lotus 99T que o Senna usava o Piquet em testes de pista, nunca conseguiu chegar pelo menos 1,5 segundos do tempo de Senna. Mas mesmo assim sou Piquetista, não gosto da pessoa Senna.

Anônimo disse...

ate' tamburello piquet era o the best, depois, ficou um segundo mais lento, pois desmaiou e nao pode voltar ao carro na mesmo dia.deve ser este segundo ae que as viuvas dizem ser oq separava os dois, mas piquet como eximio piloto fez o carro bater de traseira, ja senna tbem eximio piloto nao conseguiu.o unico merito de senna a mais como piloto era sua precisao, a cada 5.000 mudanc,as de marchas, errava uma, ao passo que piquet e outros erravam duas ou mais.e tinha galvao bueno na sua empresa de fabricar um idolo de midia global, coisa que piquet nao o fez.piquet na verdade, estava se vingando da midia de galvao de enaltecer um so' piloto que corria somente contra prost a nivel de equipamento,o mac na epoca era outra categoria dentro da F-1, que dava tres voltas de vantagem nos competidores, e nao diretamente contra senna.se era gay nao interessa, mas sempre achei senna intragavel , metido e arrogante.piquet eu conhec,o, e' um irreverente!

Anônimo disse...

Querido anônimo,

Com todo o respeito, vai tomar no seu cu e viúva é a sua mãe!

Esse recado é para todos que também usam esse termo para se referir aos fãs de Senna.

Se Senna só ídolo por causa de Galvão Bueno, como explicar a idolatria do resto do mundo em relação ao nosso piloto?

Então é isso... pau no seu rabo e no da sua mãe também!

Passar bem.

Helio disse...

Gostaria que alguém citasse um engenheiro de F1, que tenha trabalhado com o Piquet e com o Senna e que diga que o Piquet foi melhor ou igual ao Senna...todos sem excessão falam abertamente de que o Senna é bem melhor....Gordon Muray (trabalhou com Piquet na Brabham por 6 anos e com Senna na Mclaren por 4 anos), disse que Senna e Jim Clark eram pilotos de outra turma, por isto não da para comparar Senna com Piquet, Ducarouge (Trabalhou com Senna na Lotus por 3 anos e com Piquet meio ano) disse que Piquet não era um bom acertador de carros quando foi demitido da Lotus, Peter Warr (Lotus) disse que Senna era superior a Piquet nos acertos e na velocidade, não precisava nem de telemetria na Lotus, Gianni Ascanelli (trabalhou com Piquet na Benetton e com Senna na Mclaren) o Ascanelli era engenheiro de pista e disse que os 2 pilotos que mais o impressionaram foram Vettel e Senna, e olha que ele também trabalhou com o Schumacher, ele atribui o sucesso do Schumacher a capacidade de trabalho e não ao talento natural que segundo ele era muito forte no Senna e no Vettel. Já vi engenheiros que trabalharam com o Prost e com Senna dizer que o Prost era melhor exemplo (ex.:Steve Nichols trabalhou com eles na Mclaren), mas a maioria do engenheiros que trabalharam com o Prost-Senna disseram que o Senna era melhor, já em relação aos engenheiros que trabalharam com Senna e Schumacher a briga é parelha. Por isto gostaria que alguém citasse um engenheiro que diga que o Piquet é tudo isto que ele diz que é...E não vale inventar entrevistas como aquela do engenheiro da Honda Osamu Goto que deu para Autosprint, ela foi inventada pela comunidade fã clube do Piquet do Orkut e a própria revista Autosprint negou a existência da tal entrevista feita em setembro de 2000 por um jornalista que não existe (Massimo Casiraghi) aquela reportagem tá cheio de erros de ortografia, eles pegaram um texto em português e traduziram (muito mal) para o Italiano, a farsa foi descoberta ..o autor da fraude disse: Que era um primeiro de abril. Quase foi processado pelo Goto. Por isto Piquetistas vocês não são torcedores do Piquet e sim anti-Sennistas, o Senna sem dúvida foi o melhor piloto que o Brasil já teve e um dos 3 melhores pilotos de todos os tempos, mas Senna tinha uma personalidade que eu não gostava, aliás também não gosto da personalidade do Piquet, nem do Nelsinho, nem do Massa, gosto da personalidade do Fittipaldi (do Émerson, por que o Cristian e o Wilsinho são arrogantes) gosto também da personalidade do Barrichelo e do Gugelmin pena que são lentos. O Senna não é perfeito, ele não sabia perder.

Ricardo Santos disse...

O Piquet teve uma carreira muito mais dura pra chegar a F1, Foi bi campeao em campeonatos mais equilibrados tanto o de 81 quanto o de 83 levando a Braham a titulos que nao tinha desde os anos 60. Pessoal se esquece que Piquet em 1987 bateu forte na mesma curva que Senna morreu, e isto certamente o deixou mais lento no seguimento da sua carreira dai eh injusto fazer comparacoes de volta apos 87 pois ele mesmo reconhece que estava mais lento. Mesmo assim conseguiu o tri na base da manha e do conhecimento tecnico. Senna era um piloto mais rapido, mas nao era muito bom de acerto de carro no longo prazo, apos a saida de Prost, com ele reinando na Mclaren fez algumas escolhas erradas como trocar o V10 com que havia bi campeao pelo pesado e beberrao V12 , o a Williams que manteve o V10 se tornou o time mais rapido no fim de 91. A Mclaren entrou em total decadencia em 92 e 93 e Senna entao tentou ir para o time vencedor mais o regulamento mudou, nao conseguiu acertar o carro de 94 e o final da historia todos sabem. A se dizer que Piquet ainda teve outro acidente muito serio em Indy que eu nao sei como escapou daquela. Deve ter um santo muito forte.

Ricardo Santos disse...

" Ducarouge (Trabalhou com Senna na Lotus por 3 anos e com Piquet meio ano) disse que Piquet não era um bom acertador de carros quando foi demitido da Lotus,"

Bem , isto eh meio obvio porque foi Piquet que pediu a cabeca do Ducarouge, que era muito amigo do Senna mais nao acerva fazer um carro desde que saiu da Ligier. Portanto Ducarouge nao eh referencia alguma.

Duvido que Gordon Murray fale mau do Piquet como piloto, porque ganharam 2 titulos juntos numa equipe que nao tinha o melhor orcamento lutando contra times de fabrica como Ferrari e Renault ou mesmo a fortes Williams e Mclaren tocadas a rios de dinheiro arabe e do tabaco.

Sobre a capacidade de Piquet acertar carros nao ha duvida nenhuma, ganhou 3 titulos com motores diferentes, desenvolveu carros e ganhou corridas com 3 fabricantes de pneus diferentes inclusive Pirelli marca que teve rarissimas vitorias nos anos 80 e 90. Pra finalizar deixou a Benenton num patamar muito diferente que a encontrou permitindo a Schumacher desfrutar o seu brilhante inicio de sua carreira num time que ja estava entre os 3 primeiros.

Senna pegou uma Mclaren acertada pelo Prost e se viu cada vez mais perdido sem ter uma referencia ao ponto de sua unica alternativa foi dar o pulo pra outro barco... exatamamente como fez na Lotus.

Anônimo disse...

Os dois foram grandes pilotos.

Do ponto de vista pessoal, eu acho que o maior problema entre eles era o temperamento. Senna era um cara muito sério e fechado e Piquet um cara irreverente e muito brincalhão. Senna achava Piquet um "Bobalhão" e Piquet achava Senna um "chato".

Nada demais quanto a isso. É natural que não se tornassem amigos próximos.

Do ponto de vista técnico, acho que teve fases.
Quando Senna entrou na Formula em 1984, Piuqte era o campeão, logo, claro que era melhor.
Piquet foi superior a Senna até 1987/88....De 1989 em diante, Senna superou Piquet.

Isso é natural, pois Senna estava chegando ao seu auge e Piquet ficando mais velho.

É muito difícil dizer quem é "melhor" num mundo como a F1, pois a oportunidade de dirigir o melhor carro é o que fala mais alto.

Os dois foram grandes e os Brasileiros tem muita dificuldade de aceitar que duas pessoas tão diferentes possam ser tão bons, um quanto o outro.

Seu Léo disse...

Eu particularmente não conheço nenhum engenheiro de F1 ou piloto que tenham corrido com o Senna e com o Piquet e que tenha dito que o Piquet era no mínimo igual ao Senna, todos sem exceção dizem que o Senna era bem melhor. Eu vi o Gordon Muray dizer que o Senna acertava o carro melhor que o Prost, e foi o piloto mais completo que ele trabalhou, eu vi o eng. Rory Byrne dizer que o Senna e o Schumacher tinham ouvido musical e que o Piquet não tinha este dom, eu vi o engenheiro Ascanelli dizer que o Senna e o Vettel foram os pilotos mais talentosos que ele trabalhou, superando o Schumacher e o Piquet do qual também trabalhou, basta ler as entrevistas em inglês do Gordon Murray, ou mesmo no blog em português do GPtotal para ver a verdade, o Jordan também diz que o Senna era um ótimo acertador, o Ducarouge também disse isto, o Peter Warr disse que o Senna tinha a precisão nas análises semelhante a uma telemetria, quem espalhou que o Senna não sabia acertar carros foi o Piquet, aliás o mesmo boato de ele ser gay, os nazistas diziam se você mentir 1000 vezes esta mentira vira uma verdade, na realidade o que o Piquet fez foi uma guerra psicológica como ele fez com o Mansell "fiz de tudo para desequilibrar ele, falei mal dele e da esposa dele e deu certo o inglês entrou em parafuso" o Piquet também fez isto com o Chico Serra, falou horrores dele desde Chico Banana até meio-piloto, já o Barrichelo ele chamava de fracassado e de só pensar em dinheiro, já o Senna ele dizia que ele era gay, motorista de taxi, mas o Piquet sempre elogiou o Senna como piloto, chegando a dizer que se ele fosse chefe de equipe entre todos os pilotos ele contrataria o Senna, porque ele só pensava em corridas ele ficava até de madrugada com os mecânicos (principalmente da Honda). Então se alguém conhecer algum piloto ou eng. que correu com os dois e diga que o Piquet era melhor... me dê o nome do site, o número e a página da revista, o nome do piloto e do engenheiro, eu vi uma pessoa (engenheiro Osamu Goto) dizer que o Piquet era melhor, foi investigar a revista Autosprint de setembro de 2000 não existia, depois se descobriu que foi uma entrevista inventada pela comunidade do Piquet do Orkut, mas que teve grande repercussão internacional, inclusive com a negativa da revista e também do Goto.

Rogerio disse...

As pessoas analisam muito pilotos, motores, chassis. Só o que é mais importante num F1 é a estrutura da equipe (tem que ter dinheiro, muitos engenheiros, túnel de vento etc...) e outra coisa importante é pneus, já vi técnico de F1 dizer que numa guerra de pneus de marcas diferentes eles valem 50% do carro. Uma guerra de pneus desequilibra qualquer disputa, no início da década de 80 os pneus abaixavam os tempos em quase 1,0 segundo por volta a cada ano. Quem tinha Michelin levava nítida vantagem sobre os Goodyear e Pirelli. Piquet se consagrou nesta época, tinha o melhor pneu, era uma equipe inglesa, tinha o motor Ford aspirado em 1981 que era o melhor, já que os turbos da Renault estavam engatinhando, e os turbos Ferrari, BMW só entraram em 1982, o único defeito da Brabham é que a estrutura era média, mas como a Brabam dava prioridade absoluta ao piloto n1, todas inovações iam pro Piquet, pilotos de boa qualidade eram rejeitados e na minha opinião de forma correta... para não prejudicar uma autofagia com Piquet. Piquet em fins de 1984 era considerado o melhor piloto da F1...O que eu quero dizer é que o pneu Michelin equilibrou e até deu vantagens para equipes médias...como a Brabham, a fraca Mclaren, Ron Dennis comprou a quebrada Mclaren em 1980, mas ela começou a ficar forte em 1982 com o dinheiro árabe...mas ainda tinha motor Ford que deixou de ser competitivo com a entrada dos turbos, em 1983 continuou com Ford aspirado de novo não competitiva, a Mclaren começou a ficar poderosa em 1984 com o motor Porsche-turbo mais o grande Prost. Ganhou quase tudo e tinha outra equipe a Renault que até 1983 tinha um grande piloto o Prost, um grande motor o renault, mas o chassis era francês, os franceses não sabem fazer chassis como os ingleses. A maior prova que os Michelin era superiores, foi em 1985, se em 1984 as Mclaren ganharam quase tudo, sem os pneus Michelin em 1985 eles decaíram muito com a Goodyear, se a Ferrari, que também usava Goodyear, tivesse um piloto melhor que o Alboreto teria ganho fácil o campeonato de 1985. Olha a queda das Renault eram carros poderosos (apesar do chassis francês) com pneus Michelin eles usaram até 1983, quando passaram a usar os Goodyear em 1984 despencaram...só fiasco...As Brabham de Piquet com Michelin eram muito rápidas...até 1984, quebravam bastante mas eram rápidas...bastou ir para os Pirelli em 1985 para decaírem...mas o melhor exemplo, é o da Tolemam em 1984 ela não tinha fornecedor de pneus...porque ninguém queria pegar uma equipe com 60 pessoas, pobre...Senna que entrou lá começou a perceber que os pneus Pirelli não eram bons, e tentou muito os Goodyear emprestados de equipes, chegou a usar alguns semi-usados de outras equipes, mas o que Senna gostou foram dos Michelin, que também não queria fornecer para a Toleman-Hart, Senna conseguiu convencer a Michelin a fornecer para a Toleman pneus rejeitados por defeitos Mclaren e Brabham e também fornecer pneus novos mas 1983, os Toleman começaram a andar bem, mesmo não usando os melhores pneus da Michelin, alías a Michelin só forneceu para a Toleman, uma vez pneus iguais aos da Mclaren e Brabham que foi no GP de Mônaco, como choveu a Michelin não tinha no seu estoque pneus de chuva de 1983 e aí forneceu os mesmos pneus de chuva da Mclaren e Brabham e Senna teve aquela grande atuação. Por isto Piquet foi consagrado o melhor piloto da F1 até 1984...sem ajuda destes pneus ele decaiu muito...Aliás isto também ocorreu com a guerra nos anos 2000 entre Michelin e Bridgestone....desta vez os melhores pneus eram os Bridgestone...a Ferrari conseguiu convencer os japoneses a dar estes pneus para a Ferrari...exclusivos...equipes grandes como a Mclaren, Renault e Williams eram proibidas de ter estes pneus Bridgestone, o resultado aquele massacre que o Schumi e o Barrichelo fizeram de 2000 a 2004, a FIA teve que mudar as regras de pneus, pneus tinham que durar mais, para acabar com o massacre das Ferrari... em 2005 os Michelin voltaram a se tornar competitivos.

Anônimo disse...

.Acompanho a f1 desde os anos 70, com relacao a quem foi melhor entre senna e piquet, creio que o ayrton tinha um poder de concentracao imbativel nas voltas de classificacao, e em pistas com chuva, piquet ao contrario foi um piloto muito tecnico, alguns falam de gordon murray, mas a brabaham estreou o reabastecimento com piquet/murray, piquet foi campeao com motor aspirado, turbo (unico campeonato da bmw), o aquecimento de pneus com cobertores usado hoje foi utilizado pela 1a vez pelo piquet, a regulagem da pressao do turbo e o balanco controlados dentro do cockpit foram ideias do piquet, no caso da lotus, o carro projetado naquele ano tinha uma torcao terrivel no chassis, para fazer uma comparacao justa deveriam comparar os tempos de senna,piquet x nakajima com os mesmos modelos de carro. depois que o senna foi para a mclaren nao tenho certeza, mas aposto que muita coisa foi copiada do acerto do carro do prost. o grande erro do senna foi se transferir para a willians pensando que a suspensao ativa iria continuar no proximo campeonato (suspensao incialmente desenvolvida pelo piquet e depois abandonada pela willians pois o mansell nao conseguiu se adaptar).
Tomou pau da bennetton em seu ultimo ano, se fosse um otimo acertador de carros teria conseguido em 3 corridas com que a willians tivesse um carro melhor.
.Enfim, creio que a obcessao de senna em ser igual ou superior a alain prost foi a causa principal de seu acidente, etc...

Anônimo disse...

Interessante o Post. Mas busquem um programa roda viva, da TV cultura, nosso querido Galvão Bueno insinua que Piquet afirma que não queria ser herói ou fazer com que as criancinhas do Brasil não sonhasse com a F1, que herói era coisa de bombeiro, etc. Daí o Galvão pede a opinião de Senna, ele disse que não vai falar, porque vai ser mau interpretado, porém passa mais de 20 min falando do compatriota, insinuando que ele não é brasileiro, que não gosta do Brasil e tal. Busquem no you tube. E quanto Piquet ter barrado Senna na Branbhan, e disse que se Bernie disse isso ele está mentindo - os dois são amigos, desde quando algum piloto dá ordens numa equipe de Bernie Eclestone??? Se Bernie não contratou, seja pela PARMALAT ou não ... não teve o dedo de ninguém, Bernie faz o que quer e só. Se ele realmente quisesse contratar, nem Piquet nem ninguém impediria. Frank não contratou um ano depois. Se alguém da Parmalat desmentiu pra não ficar com a batata fervendo ... não sei. Senna morreu brigado com Reginaldo Leme porque falou bem de Prost. Reginaldo foi afastado da globo por essa briga. Senna era um piloto fantástico, como Shumi, Piquet, Prost, Lauda, Clark... e como tal tinha um temperamento difícil e nada fácil, como a Tv sempre mostrou.

Reis disse...

Muitas pessoas dizem que o Senna se perdeu nos acertos do Mclaren, mas eu pergunto como a Mclaren iria dar certo se ela defendia teses que o carro tinha que ser baixo e largo (tese do Gordon Muray), a Mclaren só foi ver que estava errado quando viu que os fininhos e altos March de Newey em 1990 eram os melhores carros, a Williams contratou o Newey em 1991, Barnard da Benetton/Ferrari e Byrne da Benetton também seguiam os mesmos passos de carros finos e altos, em 1991 as Mclaren resolveram também partir para esta configuração copiando da concorrência e o carro melhorou muito, conseguindo derrotar uma Williams com um motor com 20 cavalos a mais, com controle de tração e câmbio semi automático. Mas o principal problema da Mclaren era que ela não acreditava na eletrônica, ela só foi ter o seu câmbio semi automático na terceira corrida de 1992 (quebrou bastante por falta de testes), a Ferrari já usava em 1989, a Williams em 1990. O câmbio semi automático melhora o carro em 0,3 segundos, e o risco de quebrar o motor diminui bastante...porque vc não erra marcha, o piloto também melhora a pilotagem cansando menos, o controle de tração a Mclaren só foi colocar no meio de 1992, a Williams já tinha em 1990, o controle de tração melhora o carro de 0,5 a 1,0 segundo por volta dependendo da pista, além de gastar menos pneus, e na chuva ele é 2,0 segundos mais rápido, já a suspensão ativa a Mclaren só colocou a suspensão ativa em 1993, já a Williams em 1991 (não confundir com a susp. ativa antiga que era pesadona e não era boa porque era movida hidraulicamente e não eletronicamente). Em 1993 com armas iguais em eletrônica com a Williams a Mclaren fez um grande carro, e foi considerado pela crítica inglesa o melhor chassis de 1993, mas aí não conseguiu um motor de fábrica...a Honda dava aproximadamente 50 milhões de dólares para a Mclaren anualmente inclusive pagava parte dos salários dos pilotos, isto vale também para o Piquet quando estava na Williams....o Piquet quando esteve na Lotus em 1989 se orgulhava de ter sido o melhor carro sem apoio de fábrica...isto é muito importante...50 milhões de dólares em 1992 seria como 120 milhões de dólares hoje. Por isto como o Senna vai acertar o carro se o Mclaren não tinha eletrônica tão forte como a Williams. Sem contar o freio ABS que a Williams também introduziu antes de todo mundo.

THIAGO disse...


Mais claro que a disputa que acerca Piquet e Senna é a clara ferocidade que alguns dos defensores do Senna conduzem seus comentarios de maneira quase que pessoal como se fosse alguem da familia deles que itvesse sido ultrajada em alguns comentarios tem ate palavroes e ofensas aos nao Sennistas ,támbem fica evidente a maneira que a maioria deles tentam passar a imagem que o Senna é o melhor de todos e que o Piquet nem estaria no nivel do Senna , que o mundo todo nem cita o Piquet como vimos em comentarios aqui.
Se partimos por esta tese o pobre torcedor do Piquet poderia perguntar , se o Senna era de um nivel maior que o do Piquet entao pq eles ficam debatendo com os torcedores do Piquet?
Pra que ficar trazendo relatórios dos engenheiros que segundo eles falaram que o Senna era melhor, será que eles acham que alguem que nao goste do Senna iria acreditar nisso? ainda mais se tratando do Murray que tentou tudo por tudo para levar o Piquet para a mclarem em 88? ESSES ENGENHEIROS TEM ÉTICA PROFISSIONAL,NÃO IRIAM PERDER TEMPO DE ELOGIAR UM CAMPEAO E DESDENHAR OUTRO AINDA MAIS TENDO TRABALHADO COM AMBOS, unica excessão poderia ser feita ao projetista da Lotus ,afinal foi demitido por pedido de Piquet.
O Murray ficou conhecido por todos pelo trabalho que fez com o Piquet na equipe do Eclestone e nao pelo Senna nem pelo Prost na Mclarem ,alias ele só foi contratado a peso de ouro na mclarem pq o Piquet foi Bicampeao pilotando um carro feito por ele, é de dar risada que ele iria desdenhar o Piquet na midia ou mesmo num PUB.Ao Contrario de só disparar contra pq os torcedores do Senna que aFirmam ser ele o melhor de todos os tempos nao respondem algumas perguntas como pOr ex: pq ELES NUNCA TOCAM NO ASSUNTO QUE DOS 3 TITULOS DO SENNA 1 ELE OBTEVE TENDO APENAS 88 PONTOS CONTRA 105 PONTOS DO ALAIN PROST EM 1988?? COMO PODE O MELHOR DE TODOS TER ISSO NO CURRICULUM ?? quem já perdeu um titulo apenas por ter conquistado mais pontos que seu adversario jamais se sente inferior a ele muito menos deixa de se sentir o campeao moral ou alguem acha que o Prost sente o contrario?? O regulamento de descartes só pune o melhor , qualquer piloto sabe disso,Moralmente , o PROST SE SENTE PENTACAMPEAO E ISSO NINGUEM NUNCA IRÁ TIRAR DELE ATE PQ A DIFERENÇA DE PONTOS FOI MUITO GRANDE. QUE CULPA O PROST TEVE DO SENNA TER BATIDO NO MURO EM MONACO E TER BATIDO EM RETARDATARIOS POR EX? O PROST NAO BATEU ,NAO ERROU CONSEGUIU 105 PONTOS E PERDEU O TITULO PARA O SENNA QUE BATEU ERROU ERROU E BATEU E CONSEGUIU 88 PONTOS,ISSO TUDO EM 1988,MAS TBM TEVE BATIDAS E ERROS EM 89 ,90 ETC. SOMENTE EM 91 O SENNA CONQUISTOU UM TITULO DE FORMA BRILHANTE.
que tal responderem pq o Senna nao superou o PROST EM PONTOS??
Só para constar os 3 titulos que o PIQUET CONQUISTOU EM TODOS ELES ELE OBTEVE MAIS PONTOS QUE SEUS CONCORRENTES,INCLUSIVE VENCENDO O PROST EM 83 POR MAIOR NUMERO DE PONTOS REAIS CONQUISTADOS.

Gerson disse...

Eu discordo de você se existem regras é obvio que são para ser obedecidas. Antigamente a FIA queria valorizar as vitórias e os segundo lugares... por isto as brigas eram violentas. O próprio Nélson Piquet disse que ele arriscava muito mais com o regulamento antigo onde o 1° lugar valia 9 e o 2° lugar 6, o 3° 4....porque sabia que das 16 provas só 11 valeriam...com as regras atuais onde não tem descarte os pilotos com certeza arriscariam menos...hoje um piloto que tirasse terceiro lugar em todas as provas seria tranquilamente campeão..Naquela época era quase impossível tirando terceiro lugar e ser campeão...imagina um campeão com 44 pontos...por isto arriscavam bem mais tentando vencer ou chegar em segundo...Não tenho dúvida que todos pilotos mudariam a pilotagem. Pra mim a vitória deveria valer muito mais que 25 pontos...o segundo lugar vale 18? Na minha opinião é um absurdo um um piloto que vence muitas provas não ser campeão, as regras atuais permitem isto, hoje a regularidade prevalece. Não tenho dúvida que Piquet arriscou bastante em 1981 e 1983 quando foi campeão com apenas 10 pontuações, mas conseguiu 3 vitórias em ambas. Já em 1987 Piquet fez pontuação em 12 GPs desperdiçando apenas 1 prova...3 vitórias e 6 segundos lugares...Senna também fez isto em 1988 na minha opinião ele foi superior a Prost por ter tido 8 vitórias contra 7 do Francês, e um monte de poles liderou muito mais....mas Senna pontuou em 13...contra 14 do Prost, Prost na minha opinião falhou...já em 1989 Senna mostrou que ainda era imaturo ao pontuar em apenas 7 provas, mesmo Senna sendo muito mais rápido do que Prost, já em 1990 Senna pontuou em 11 provas e em 1991 pontuou em 14 na minha opinião o Senna errou...deveria ter arriscado um pouco mais...Eu admiro pilotos (neste regulamento antigo) que terminam entre 10 a 12 provas...Regras são para serem obedecidas...no futebol depois que a vitória passou a valer 3 pontos os futebol melhorou bastante, os times começaram a atacar muito mais...a mesma coisa com o saldo qualificado da Copa do Brasil...tem time que tenta fazer um gol fora de casa...Mas sou obrigado a reconhecer que neste regulamento atual pilotos mais chegadores, que quebram menos ou batem menos como o Prost. o Piquet por incrível que pareça concluiu muito menos prova que o Senna...

Anônimo disse...

Longevidade...
Piquet em 1980 - Vice Campeão.
Piquet em 1990 - 3º Lugar (com uma Benneton que quebrou algumas vezes)

... Se Piquet tivesse assinado com a a McLaren em 88... quem seria Senna hoje?

O pessoal fala que Piquet afundou a Lotus, o carro da Lotus em 88 era horrível, em 89 o motor era.

Fernando disse...

Acho incrivel algumas pessoas afirmarem categoricamente quem era melhor sendo que quando Piquet estava com um carro melhor surrou Senna de todas as maneiras e vice-versa.Oque é unanime dentro da F1 é que os campeonatos de 1980 ate 1985 foram os mais disputados da historia, e o unico bicampeao nestes anos foi o Piquet dando uma surra em 83 no Prost, já na fase do Senna os campeonatos eram disputas particulares dentro da Mclaren, com uma pontuação absurda que eliminava tudo que não fosse vitorias que viria a ser alterada depois, com direto de um bater no carro do outro para ganhar e em 91 o Berger jogar o Mansell para fora da pista para Senna ser Tri. Outra coisa que muita gente se esquece é do fato que Piquet ter declarado varias vezes que apos o acidente de 87 em Imola decaiu como piloto por perder a visão de profundidade e nunca mais ter sido o mesmo (que ja elimina qualquer fã que tenha acompanhado a F1 depois disso).Sobre a historia de Piquet barrar Senna o Ecclestone colocou um ponto final dizendo que a parmalat queria um italiano, que viria a ser o Patrese.Os dois são os melhores que eu ja vi, porem Senna em uma fase de brigar somente com o companheiro como se o campeonato fosse particular e Piquet ganhando contra varios oponentes em uma fase que morria muito mais gente, quebrava muito mais carros, sendo tambem incrivelmente estrategico.

Anônimo disse...

sena era humilde e patriota tinha ourgulho de ser brasileiro, e o que faltou e falta no pique

Unknown disse...

O Piquet foi um termendo piloto, mas Ayrton foi o maior de todos! Além disso, Senna possuía carisma e simpatia, atributos que passam longe do bossal e arrogante Piquet!

Sávio Melo disse...

Pelo que pude perceber em todos os comentários que li, os textos transcritos com paixão são tendenciosos ao Senna e aqueles onde a razão impera, ao Piquet...