terça-feira, 5 de abril de 2011

Luto no Automobilismo Brasileiro

A morte de Gustavo Sondermann na Copa Montana ligou o sinal vermelho no automobilismo brasileiro e no circuito de Interlagos, a Curva do Café precisa ser alterada urgentemente!

"Faltam palavras para descrever a indignação que eu senti ao ver a corrida ao vivo e o acidente em plena chuva em interlagos. Muita coisa foi escrita nas redes sociais, muitas condolências foram extravasadas, Galvão Bueno externou sua indignação em carta pública e divulgada amplamente pelas comunicações Globo e o presidente da CBA, Clayton Pinheiro, enviou uma carta a FIA pedindo vistoria imediata da curva fatídica. 
 
Esse acidente realmente entristeceu a todos que acompanham o automobilismo em geral. Uma morte nesse esporte é sempre muito sentida. Sabemos dos perigos do esporte que praticamos e a morte, mesmo sendo temida no íntimo de todo piloto, é enfrentada de forma brava pelos profissionais e amadores.
Mas, convenhamos, uma terceira morte na mesma curva do mesmo circuito deixa qualquer um indignado e transtornado. Paira um certo ar de desleixo ou impunidade das autoridades. Eu sei que citar a famosa curva Tamburello não faz bem, mas se colocarmos em comparações, os sinais dados pela Tamburello antes do acidente trágico com Ayrton Senna foram menos chocantes com as quais estamos começando a nos "acostumar" com os acontecidos na Curva do Café.
 
Em 1987, Nelson Piquet bateu forte na Tamburello e teve uma concussão cerebral sendo impedido de participar da prova. Em 1989, na mesma curva, Gerhard Berger bateu forte e sua Ferrari pegou fogo. Seu carro ficou em chamas e o piloto teve queimaduras nas mãos e pelo corpo e por muita sorte escapou ileso. Nos testes de 1994, mais precisamente em Fevereiro, Ayrton Senna, numa atitude pró-ativa, levou os responsavéis da pista para a curva fatídica para explicar que algo deveria ser feito porque as condições do asfalto e a inclinação da curva poderiam ocasionar um acidente forte. Suas reclamações não foram atendidas, e o resto todos nós sabemos.
O que acontece com a Curva do Café é algo semelhante e muito mais trágico. Foram duas mortes em campeonatos turismo, sendo que um fotógrafo morreu depois de um acidente de moto no mesmo local. Já tivemos um acidente sério na Formula 1 em 2003, quando Fernando Alonso foi atingido de maneira brutal por Mark Webber e por pouco não sofreu algo mais sério. O que falta para as autoridades tomarem suas atitudes? Será preciso algum piloto famoso de Formula 1 morra nas mesmas circunstâncias que esses jovens e "desconhecidos" brasileiros morreram para se tomar alguma atitude?
 
Desculpem pelo teor emotivo e de desabafo. É que ver um jovem brasileiro, que dividiu a mesma paixão pelas corridas, tenha sua vida ceifada pela inércia alheia. Tragédias acontecem, todo acidente tem uma causa, e a morte de Gustavo Sondermann foi claramente consequência de uma coisa óbvia: Descaso.
 
Dr. Dino Altmann, o senhor é um herói!
Fique com Deus, 
Gustavo Sondermann"
 
Cláudio Souza


7 comentários:

Bruno Braz disse...

Hermano, me desculpa MESMO, mas não concordo que o problema seja a curva. Pra mim, o problema é a construção tubular desses chassis porcos da Stock. Não há batida em "T" que esse carro aguente.
Temos diversos exemplos de acidentes semelhantes a esses em velocidade muito superior nos OVAIS dos Estados Unidos. Não vou sequer falar em Indy. Vou ficar pela NASCAR mesmo, que é a que mais da para comparar com a proposta da Stock. Quantas vezes da para ver um carro da NASCAR, andando a 300 KM por hora, bater no muro, cruzar a pista e ser atingido por outro carro no meio da porta? E quantas mortes ocorrem por lá?

Jogar a responsabilidade na curva é um pouco desonesto se compararmos essas duas coisas. Os chassis que são utilizados por aqui não aguentam pancada lateral.

Se querem melhorar algo na nossa Stock, comecem melhorando esse monte de "arame" tubular que lembra casca de ovo de tão frágil.

Não concordo em colocar a culpa no autódromo. Penso que é mais fácil a mídia colocar a responsabilidade no Autódromo do que no fabricante dos chassis.

RICARDO SIMONE disse...

O PROBLEMA DA CURVA DO CAFÉ É QUE O CARRO BATE E VOLTA PRA PISTA E AS BATIDAS NAS LATERIAS SÁO SÉRIAS PRA NÁO DIZER FATAIS. FOI O QUE ACONTECEU COM ELE, COM O SPERAFICO E ATÉ COM O ZANARDI.

CBA OU INTERLAGOS NÃO VÃO FAZER NADA NAQUELA CURVA, POIS O QUE TEM QUE SER FEITO SERIA UMA ÁREA DE ESCAPE E NÃO HÁ ESPAÇO PARA ISSO OU VCS ACHAM QUE ELES IRÃO TIRAR PARTE DA ARQUIBANCADA APR AISSO???


JÁ ESTRAGARAM INTERLAGOS COM O ``S`` DO SENNA, AGORA VÃO TIRAR OUTRO TRECHO QUE MAIS OS PILOTOS GOSTAM??? SE FOR APRA ISSO, CHAMEM O TILKEN, EH EH EH...

Bruno Braz disse...

Ricardo, quantas vezes você já viu em provas da Nascar o piloto bater no muro e voltar? Quantas? Garanto que no mínimo 10. Veja quantos morreram...

Daniel Mendes disse...

Eu concordo com o Bruno. Tanto Nascar Racing quanto Indy Car Series têm no decorrer de seu campeonato, por maioria, pistas ovais. Quando há um acidente nesse tipo de pista, quantos carros não voltam pro meio da pista? E quantas batidas a gente vê iguais aos que aconteceram com Sperafico e Sondermann? Quantos morreram? O que me preocupa mais não é a curva do Café e sim a estrutura extremamente frágil desses carros. Vou utilizar do exemplo do Ricardo. Alex Zanardi sofreu o mesmo tipo de acidente na Indy e ele morreu? Por mais que ele tenha perdido as pernas, hoje ele ainda corre!!! Está vivo!!! É exemplo de vida! Será que se os carros da Stock Car brasileira tivesse uma proteção maior, esses pilotos não sobreviveriam? Se há espaço para ter uma área de escape na curva do Café, ótimo! Criem essa área! Melhor ainda! Mas arrumar uma coisa e não arruma outra, não adianta nada! Se não melhorarem a proteção do piloto dentro do carro, continuarão morrendo pilotos pelo Brasil em diversas pistas. Veja Kubica e o terrível acidente no Canadá! Acidente de proporção muito maior!!! Agora veja o sobrinho do Boesel. Devido ao acidente, fraturou a clavícula! Meu Deus! Como pode? A CBA está abandonada ao descaso! Fortaleçam as estruturas desses carros...

r.chafick disse...

Infelizmente no Brasil se espera morrer mais que 2 para se tomar alguma providencia. Infelizmente esses pilotos falecidos servirao para melhorar a tecnologia em relaçao a segurança dos carros por esse motivo eles morreram.
O destino fez assim, assim como aconteceu com o Ayrton qnd se foi.

RODRIGO CHAFICK

Claudio Souza disse...

Concordo com vocês também Bruno e Daniel.. a culpa não é única e exclusiva da estrutura da Curva do Café e os carros, fragéis, possuem grande parcela de culpa nestas tragédias. Respeito e concordo com a opinião de vocês mas adiciono que o desenho da curva, inclinação e ângulo favorecem e muito acidentes fortes. Obrigado pelos comentários... nós só temos a ganhar com essas trocas de informações.

Ricardo Menegueli disse...

triste para o automobilismo...
mas, mexer na curva do café é ridículo. repetir o comentário de que os carros de stock parecem feitos de cartolina e celofane não é necessário... agora, as medidas que são tomadas, tanto a definitiva quanto a preventiva, não ajudam:

- se o piloto rodar na curva do café e cair no meio da pista, a porrada vai ser tão violenta quanto a do sondermann

- se a bandeira amarela permanecer constantemente levantada no trecho para evitar ultrapassagens, caso haja um acidente o piloto nunca saberá se teve, pq é a sinalização

(acima, considerações do piloto da GT4, Marçal Melo)

- as licenças de piloto de carros turismo, qualquer um tira desde que tenha o diploma de curso de pilotagem homologado. ridículo. todo piloto deveria que passar por testes severos antes de entrar a primeira vez em qualquer carro.

e o mais importante: TUDO que for possível ser feito para melhorar a segurança de cockpit dos pilotos, deve ser feito. copiar chassi e lataria da nascar, melhorar estruturas... fantástico.
mas temos que lembrar que, quem senta num carro de competições está ciente que tem um risco de se machucar e morrer.

Abraços!